Área do Paciente - Dieta

Dieta e o Transplante de Rim

O transplante de rim, como em outros tratamentos da doença renal é necessário que se siga uma dieta especial.


O uso de medicamentos imunossupressores, ou seja, que previnem a rejeição podem causar alguns efeitos colaterais, como: aumento da pressão arterial, aumento dos níveis sanguíneos de potássio, colesterol e triglicérides, aumento do apetite levando ao ganho de peso. O controle do ganho de peso o ajudará a não desenvolver complicações como doenças cardiovasculares, diabetes e hipertensão.


É comum que alguns pacientes tenham que controlar o potássio na alimentação após o transplante até que os níveis sanguíneos estejam normalizados. O tempo de seguimento desta dieta varia de pessoa para pessoa e deverá ser determinada e acompanhada pelo nutricionista e médico da sua equipe de transplante.

Potássio

O potássio está presente nos alimentos, especialmente em frutas, legumes, verduras, carnes, leite e derivados e nos grãos (feijão, ervilha, lentilha, soja e grão de bico). A quantidade de potássio destes alimentos diferem entre si, sendo que alguns possuem quantidades maiores que outros.

Aqui estão algumas dicas de como diminuir a quantidade de potássio na alimentação:

1. Preferir alimentos pobres em potássio (verificar abaixo);
2. Ingerir frutas, verduras e legumes sempre cozidos;
3. Descascar as frutas, verduras e legumes, deixar de molho ou cozinhar em bastante água. A água de cocção deve ser desprezada.

Se você precisa controlar o potássio na sua alimentação, as frutas, verduras e legumes só deverão ser ingeridos crus sob a orientação do nutricionista.


Atenção: substitutos do sal (sal dietético ou light) são ricos em potássio e devem ser evitados.


As frutas mais ricas em potássio são: melão, maracujá, laranja pêra, ameixa preta, ameixa vermelha, amora, mamão, figo, tamarindo, uva, abacate, lima da pérsia, banana prata, banana d’água, damasco.

Vegetais com maiores quantidades de potássio são: batata inglesa, batata doce, milho verde, cenoura, beterraba, acelga, aipo, couve manteiga, couve flor, couve de Bruxelas, palmito em conserva, rabanete, tomate, almeirão, brócolis, espinafre, mandioca, mandioquinha, chicória.

Alimentos que devem ser evitados se houver restrição de potássio na alimentação: ameixa seca, uva passa, cereais integrais, caldo de carne e galinha em tabletes, leguminosos (feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico e soja), gergelim, amêndoas, avelãs, castanha de caju, castanha-do-pará, coco, água de coco, amendoim, tâmaras, chocolate, massa de tomate, caldo de cana e rapadura.

Sódio

A quantidade de sal permitida na dieta varia de pessoa para pessoa e muitas vezes a restrição do sal é necessária para evitar retenção de líquidos no corpo e aumento da pressão. Se este for o seu caso, limite a quantidade de sal de cozinha na sua dieta assim como alimentos ricos em sódio.

Se você precisar controlar o sal na dieta siga as orientações:

  • 1. Use produtos sem adição de sal e com baixo teor de sódio
  • 2. Prefira alimentos frescos e congelados sem sal, evite enlatados
  • 3. Utilize carnes frescas, aves e peixes frescos à defumados e embutidos
  • 4. Prefira pães sem adição de sal
  • 5. Utilize ervas aromáticas e especiarias para realçar o sabor e aroma de suas receitas, substituindo assim o sal de cozinha
  • 6. Cozinhe arroz, cereais e macarrão sem acrescentar sal
  • 7. Se utilizar alimentos enlatados, enxágüe-os antes de consumir para remover o excesso de sal.
  • 8. Leia sempre o rótulo dos alimentos para se informar sobre sua composição.

Alimentos ricos em sódio que deverão ser evitados:

Alimentos enlatados e embutidos: salsicha, presunto, salaminho, mortadela, hambúrguer industrializado, lingüiças, patês industrializados, sardinha, atum, carnes salgadas ou defumadas, charque, picles, azeitonas, palmito, etc.


Queijos amarelos e curados como: parmesão, provolone, prato, queijos cremosos, brie, etc.; salgadinhos de pacote, condimentos e molhos: shoyo, molho inglês, molho de soja, maionese, missô, amaciante de carnes, molhos de tomate e para carnes prontos, glutamato monossódico, condimentos em pó em cubos (caldo de legumes, carne, galinha, etc.), sopas prontas (liofilizadas que contenham sal).

Colesterol e triglicérides

Muitas vezes o nível de colesterol e triglicérides podem estar aumentados no organismo, seja por causa da medicação, da alimentação inadequada ou pela predisposição genética. O colesterol é considerado alto quando o nível de colesterol no sangue atinge valores acima de 200 mg/dL.


O colesterol é transportado na corrente sanguínea sob duas formas:
LDL - prejudicial ao organismo. Quanto mais LDL nós temos no sangue maior é o risco de termos doença cardiovascular porque ele pode construir "uma parede" nos vasos sangüíneos.
HDL – benéfico ao organismo, tendo a função de conduzir o colesterol para fora das artérias, impedindo assim o seu depósito.
Se você precisa prevenir que o controlar ou abaixar a taxa colesterol sanguíneo, algumas modificações na dieta são necessárias:

  • Cozinhe no vapor, grelhe, asse ou faça guisados, ensopados ao invés de frituras.
  • Use panelas que não precisem de adição de gordura (tipo tefal) ou a vapor.
  • Coloque pouco óleo para preparar os alimentos.
  • Antes de preparar aves e carnes, retire toda a gordura aparente, assim como a pele no caso das aves.
  • Refogue a carne e escorra a gordura antes de acrescentar os outros ingredientes
  • Use limão e ervas aromáticas para adicionar sabor às preparações.
  • Evite o consumo de maionese, preparações à base de coco, molhos para salada que sejam ricos em gordura, salgadinhos de pacote, bolachas recheadas e"confeitarias".
  • Inclua peixes na alimentação
  • Aumente a ingestão de fibras na dieta. Prefira frutas, verduras, cereais como aveia, grãos, pães integrais;
  • Evite a ingestão de vísceras (coração, fígado, rim e miolo).
  • Evite achocolatados
  • Evite alimentos ricos em gordura animal: leite integral, manteiga, queijos amarelos e minas integral, requeijão, iogurte integral, sorvete feito com leite integral, gema de ovo e preparações à base de carnes com gorduras aparentes, pele de frango, bacon, creme de leite, vísceras (fígado, rim, miolo), salsichas, presunto, sardinhas conservadas no óleo.

Triglicérides

A hipertrigliceridemia ocorre quando o nível de triglicérides no sangue do adulto sadio atinge valores acima de 150 mg/dL.

Existem dois tipos de triglicérides:

Exógenos: estão presentes nas gorduras dos alimentos Endógenos: são formadas no fígado a partir de alimentos fontes de carboidratos simples (açucares, doces..), de carboidratos complexos (arroz, massas, pães..), de bebidas alcoólicas, além das gorduras.
Se você precisa prevenir que o controlar ou abaixar a taxa triglicérides no sangue, faça as seguintes modificações na sua alimentação:

  • Evite grandes quantidades de açúcar, mel, balas e doces em geral.
  • Procure substituir refrigerantes e sucos artificiais adoçados por sucos naturais sem açúcar ou com adoçante.
  • Evite bebidas alcoólicas.
  • Consuma arroz, massas, pão, pizza e biscoitos com moderação

Fonte: www.abto.org.br